Reuniões de Redes Temáticas de Pesquisa

Na tarde do dia 01 de Agosto de 2013 haverá, no XIX SINAFERM / X SHEB, reuniões das seguintes Redes Temáticas de Pesquisa:

 

Nanobiotecnologia 

Em 2009 iniciamos um projeto de Cooperação no Edital Nanobiotecnologia/04-2008 da Capes, integrando as equipes de pesquisadores do Programa de Engenharia de Alimentos da URI, Instituição Coordenadora, e as IES associadas: Programa de Engenharia de Alimentos/FEA/UNICAMP, Departamento de Ciência de Alimentos/IQ/UFRJ, Departamento de Eletrônica e Sistemas/Laboratório de Dispositivos e Nanoestruturas/UFPE e Departamento de Engenharia Química/UFC. O projeto intitulado “Imobilização de Enzimas em Nanoestruturas e Aplicação em Reações de Interesse para a Indústria de Alimentos”, tem por objetivo central investigar o desenvolvimento de nanoestruturas para posterior utilização das mesmas na imobilização de enzimas, bem como a aplicação destas na aceleração de reações de interesse da indústria de alimentos. Serão ainda avaliadas técnicas de modificação da estrutura do biocatalisador de modo a se obterem reações mais rápidas e eficientes. O projeto prevê o deslocamento de pesquisadores e alunos de doutorado para realização de missões de estudo e pesquisa no país e no exterior. Além disso, os recursos contemplam o pagamento de bolsas de doutorado pleno, pós-doutorado e doutorado sanduíche no exterior, além da visita de pesquisadores estrangeiros ao país para a consolidação de parcerias. O SINAFERM significa importante marco no andamento do projeto, à medida que oportuniza reunião de trabalho de todas as equipes envolvidas, visando à avaliação das atividades desenvolvidas e o planejamento e implementação de estratégias visando ao cumprimento dos objetivos propostos no projeto.

Coordenador geral: José Vladimir de Oliveira (UFSC)

Coordenadores das instituições co-responsáveis:

UNICAMP: Francisco Maugeri Filho

UFRJ: Denise Maria Guimarães Freire

UFPE: Edval José Pinheiro Santos

UFC: Luciana Rocha Barros Gonçalves

 

Rede Nacional de Fungos Filamentosos: Bioprospecção de Fungos Filamentosos Visando Aplicação de Holoenzimas em Biorefinaria

Nos dias atuais, muito vem sendo discutido sobre os métodos ou as formas de localizar, avaliar e explorar sistemática e legalmente a diversidade de vida existente em determinados biomas, com o objetivo principal da busca de recursos genéticos e bioquímicos para fins biotecnológicos – a bioprospecção. Assim, a perspectiva de desenvolvimento sustentável de biocombustível – o etanol de segunda geração - gerado a partir de palhas e bagaço de cana de açúcar, resíduos agrícolas/agroindustriais que são utilizados atualmente para produção de energia, ração animal, etc. É fato que a quantidade de resíduos gerados devido às novas políticas governamentais de implementação de usinas sucro-alcooleiras excede os limites de consumo e leva à contaminação ambiental.

Dentro deste contexto, a proposta deste projeto está estruturada no estudo de fungos filamentosos, isolados a partir de diferentes biomas, e que se destacam na produção de enzimas lignocelulolíticas com potencial para produção de enzimas com aplicação em biorefinarias, como celulases, xilanases e ligninases. Para tanto, formou-se a Rede Nacional de Fungos Filamentosos. Essa Rede compatibiliza estudos de bioprospecção, meio ambiente e novas políticas governamentais de tecnologia funcional e de inovação enzimática, sendo formada através de interações multidisciplinares e interinstitucionais. A proposta está fundamentada no desenvolvimento de uma bateria de técnicas microbiológicas, bioquímicas e de biologia molecular, contando com algumas metodologias inovadoras, como (a) formação de uma biblioteca de DNA ambiental contendo apenas as sequências codificadoras das proteínas; (b) imobilização de exoglucanases, xilanases e arabinofuranosidases em suportes químicos desenvolvidos no Consejo Superior de Investigacciónes Científicas, Madri, Espanha; (c) utilização de licores obtidos por auto-hidrólise de resíduos agroindustriais, técnica padronizada na Universidade do Minho, Portugal, e que vem sendo otimizada pelos pesquisadores do Instituto de Tecnologia e Pesquisa, em Sergipe; (d) detoxificação do bagaço de cana de açúcar submetido a explosão à vapor, por lacases, para geração de etanol de segunda geração; (e) o grupo da Coordenadora conta ainda com a colaboração de pesquisadores de Oklahoma State University, USA, para expressão heteróloga de fungos prospectados na natureza, facilitando os processos de purificação de celulases e xilanases e aumentando a expressão enzimática.

Coordenação da Rede/Coordenação do sub-projeto 1: Profa. Dra. Maria de Lourdes T. M. Polizeli, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Departamento de Biologia  

Coordenador sub-projeto 2 Prof. Dr. Daniel Pereira da Silva (ITP, Sergipe)

Coordenador do sub-projeto 3: Prof. Dr. Edivaldo Ximenes Ferreira Filho (UnB, DF)

Coordenadora do sub-projeto 4: Profa. Dra Rosane Marina Peralta (UEM, PR)

Coordenadora do sub-projeto 5: Profa. Dra. Eleni Gomes (IBILCE, UNESP, São José do Rio Preto, SP)

Coordenadora do sub-projeto 6: Profa. Dra. Heloiza Ferreira Alves do Prado (FEIS/UNESP/Ilha Solteira)

Coordenadora do sub-projeto 7: Profa. Dra. Fabiana Fonseca Zanoelo (UFMS, Campo Grande, MS)

Coordenador do sub-projeto 8: Prof. Dr. Ílio Fealho de Carvalho, UNEMAT-  Universidade do Estado de Mato Grosso/ Campus Tangará da Serra

Coordenadora do sub-projeto 9: Profa. Dra. Monica Ferreira Nozawa (Centro de Ensino Superior Nilton Lins/CESNL/Manaus, AM)

Coordenadora do sub-projeto 10: Profa. Dra. Marina Kimiko Kadowaki- Unioeste/PR

Coordenador do sub-projeto 11: Prof. Dr. Richard John Ward, FFCLRP, USP, Departamento de Química

 

Rede Nordeste de Biotecnologia - RENORBIO

A Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO) é uma rede de pesquisa cuja base é um Doutorado em Biotecnologia (PPGB - RENORBIO), nível 5 na CAPES, iniciado em 2006, que envolve hoje 36 instituições (Universidades e Institutos de Pesquisa) em toda a costa do Nordeste - do Maranhão ao Espírito Santo. Neste momento tem 227 professores e 594 alunos; supervisiona 15 pós-doutoramentos, tendo já formado 232 doutores e finalizado a supervisão de 2 pós-doutoramentos. Seis anos após seu início, a produção de artigos científicos de seus pesquisadores duplicou e passou a ser publicada em revistas de alto impacto; o número de pedidos de depósito de patentes passou a de 6 para 70; dentre outros resultados. Tratando-se de um programa de biotecnologia, esses últimos dados são de grande relevância, mostrando a contribuição da rede para um movimento de mudança substancial na cultura de geração de produtos/processos na região. Os pesquisadores da área de Bioprocessos atuam na área da rede denominada "Biotecnologia Industrial", sendo a área que até o presente momento tem o menor número de pesquisadores.

Coordenador Executivo da Rede: Mitermayer Galvão dos Reis - FIOCRUZ-BA

Coordenadora Geral do Núcleo de Pós-graduação: Maria Madalena Pessoa Guerra - UFRPE

Vice-Coordenadora do Núcleo de Pós-graduação: Áurea Wischral - UFRPE

Coordenadora da Área de Biotecnologia Industrial: Gorete Ribeiro de Macedo - UFRN

Vice-Coordenadora da Área de Biotecnologia Industrial: Luciana Rocha Barros Gonçalves) - UFC

 

Organização: